Grupo de magistrados lança ”Manifesto Institucional em defesa do TRT 21”

15-03-18 Sinjuspar 0 comment

Assim como o SINTRAJURN, a ANAMATRA e a AMATRA21, um grupo de juízes e desembargadores resolveram se manifestar contra a decisão do Conselho de Administração da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho da 21ª Região de conceder a ordem “Djalma Aranha Marinho” ao Deputado Federal Rogério Marinho e ao empresário Nevaldo Rocha. Eles lançaram nesta terça-feira, 13 de março, um “Manifesto Institucional em defesa do TRT 21”. Veja abaixo a íntegra do documento e em anexo uma cópia das assinaturas.

Manifesto Institucional em defesa do TRT 21

Comportamento de patrimonialismo sobre a coisa pública é algo que não se tolera mais na sociedade em que vivemos. O TRT 21 não é propriedade nem de Juiz, nem de Desembargador, nem de servidor. Pertence a sociedade como um todo, diante inclusive do papel que tem que desempenhar.

Nada é mais inoportuno no cenário atual, diante de crises políticas e sociais, do que uma solenidade de medalhas para homenagear autoridade políticas ou empresariais que apoiam ou representam corporações que desrespeitam, recorrentemente, os direitos humos laborais.

Atravessamos um momento crítico para a magistratura, para a Justiça do Trabalho e para o Direito do trabalho, essencialmente quando precisamos nos debruçar sobre assuntos bem mais importantes na aplicação do Direito que juramos, e sobre uma reforma trabalhista que vem a exigir novas posturas e novos entendimentos.

É chegada a hora de pensarmos que instituição queremos. Que papel temos nela. Que importância ela representa para o povo, e para o seu povo. Urge comecemos a atualizar essa instituição com a sociedade que vive gora dela, o que é o pensamento de uma grande maioria de juízes e servidores.

Precisamos repensar e abominar modelos autoritários e patriarcado sobre esta instituição de Direitos Social. E só a partir de nossa UNIÃO poderemos fazer isso juntos.

Conclamamos todos a se juntarem a nós nessa jornada. Ela é urgente e tem pressa. Sejamos, pois, detentores a medalha da dignidade e da atuação contra aquilo que nos quer destruir interna e externamente.

Fonte: Fenajufe



Deixe um comentário